segunda-feira, 11 de maio de 2009




Feminilidades

Repousa o corpo cansado,
Sobre a cama fria.
Teu pensamento negro, encalacrado...
Vai-se com a luz do dia.

E te enches de desejo;
De amor pelo que não é teu.
Ansiando o beijo,
Da boca que ainda não conheceu.

A mão cadente...
Desliza toda a linha,
Do corpo envolvente,
De tuas curvas de menina.

Tão menina ainda em pudor,
Eminente em ternura,
Flamejante de amor.

Viviane Ramos


2 comentários:

  1. Vivi!
    Suas poesias são quentes!
    Cada palavras faz surgir uma cena na minha mente!
    Eu viajo!

    Lindo!

    bjos

    ResponderExcluir