sábado, 17 de outubro de 2009




”Feminilidade em Verso”

E seu verso ganhou voz
A folha branca ganhou tom rosa
E um desejo quase atroz
De fazer a vida prosa

Sentiu no verso a força de viver
E lançou toda sua poesia no ar
E as folhas navegaram até você
Que hoje compartilha do meu versar

A menina sentiu-se florescer
Em poesia se pôs a transladar
Seus desejos, anseios... apelos
Seu desespero por amar

Amar a si, mais que aos outros
Traçar seu caminho em firmes passos
Livrar-se de todos os seus desgostos
No verso descobrir novo compasso

Então a leda menina poeta
Foi beijada pela “Fada de Luz”
Rasgou a roupa de santa, de certa
E lançou ao que amor lhe conduz

Amor que nada tem haver com beijos
Amor que por si se faz verdade
E ao transladar estes desejos
Descobriu-se nos entremeios de sua Feminilidade

E sepultada a poeta sucumbida
Não houve mais lamentação
E sua voz ecoou em poesia
Dizendo em versos o que a mulher cala no coração!

Viviane Ramos

2 comentários:

  1. Amei muito este poema...tu sabes!!

    continuarei beijando-te!! ;)

    huhu!

    ResponderExcluir
  2. És uma poetisa de talento, menina! O poema é um encanto!
    beijos

    ResponderExcluir